Como usar a X32 sem multicabo

Tempo de leitura: 14 minutos

Você já pensou em ligar duas x32 sem multicabo? Pois é, tem como e com um só cabo de rede.

Chega de andar com aquele trambolho todo. Com apenas um cabo de rede é possível substituir o grande, caro e pesado multicabo.

Inclusive, se precisar ligar mais de um console, é possível fazer uma cascata. Todas as x32 sem multicabo ficariam ligadas por cabo de rede em vários lugares: monitor, PA, TV, gravação…

Como funciona usar a x32 sem multicabo?

O processo é bem simples, o console que está no palco recebe os sinais dos instrumentos fisicamente.

Depois que o sinal analógico é convertido para digital, através das portas AES50, distribuímos para as outras mesas, via cabo de rede.

Banda em duas mesas
A banda entra fisicamente em uma mesa e vai para outras via cabo de rede.

E tenho certeza que muitas pessoas vão ter dificuldades quanto a ganho, eu também tive.

É a parte chata história, mas quando entendemos como funciona esta conversão, tudo fica mais fácil.

Como assim dificuldades com ganho?

O ganho ele vai ser responsável pela excitação ou atenuação do sinal elétrico antes da conversão. Isto, grosseiramente falando, ainda é lá no pre-amplificador.

Se o ganho está vinculado ao pre-amplificador, ou seja, na entrada física, não tem como termos vários controles pra uma mesma entrada e cada controle interagir de forma diferente.

Botão de ganho na x32
GAIN = Ganho da entrada física

Sendo assim, só temos um controle de ganho analógico. Seria complicado colocar ele na mão de todos operadores ao mesmo tempo.

Seria uma bagunça, já que alguns gostam de usar menos excitado e outros mais excitados.

Se só existe uma conversão do analógico para o digital, só vai existir um controle de ganho analógico.

E de padrão este ganho ficará na mão de quem está neste console que os canais entrarão fisicamente, as outras mesas terão um ganho digital ou acesso virtual ao ganho físico.

E como corrigir o problema com os ganhos da x32 sem multicabo?

Se na x32, que está com a banda conectada fisicamente, os ganhos foram ajustados pensando numa estrutura de ganhos onde nem está estourando e nem está baixo demais, com certeza, nas outras mesas, vai estar saindo tudo bem.

Nas mesas que receberam o sinal via cabo de rede (x32 sem multicabo), os níveis já vão estar bem bacana para iniciar o trabalho.

Isto acontece por causa que o sinal que vai para as outras é colhido após a conversão.

Quero dizer que depois que o sinal entra no pre-amplificador, ele vai para o conversor de áudio analógico para áudio digital.

E já convertido, ele é distribuído para outros consoles e com nível já ajustado pelo ganho analógico junto ao pre-amplificador.

Tiago, eu entendi que cada console já recebe o sinal com ganho analógico ajustado. O que não entendi é como posso resolver o problema de ganho? Caso eu esteja em outro console, como faço para excitar ou atenuar a entrada do canal?

Trim = Ganho digital
TRIM = Ganho digital ou também conhecido como ganho virtual

A resposta está no ganho digital, chamado de TRIM na x32. Os consoles, x32 sem multicabo, recebem este controle para corrigir esta dificuldade.

E se a pessoa não souber usar o ganho analógico?

Isto também acontece, de pessoas que ainda não tem a experiência ou segurança para ficar com ganho analógico na mão e fazer a estrutura de ganhos.

Por isto, através do painel de controle dos consoles, é possível eleger um console x32 sem multicabo, ligada pelo cabo de rede, para controle remoto destes ganhos.

Todos os outros consoles ficariam com ganho digital.

Para controlar o ganho remotamente, pode ser utilizado a janela em SETUP e da aba PREAMPS:

LigarDuasX32-14
Os parâmetros em Global Options e HA Remote trocam o funcionamento do controle botão de ganho de GAIN para TRIM e ao inverso também.

Também pode vincular ou bloquear o ganho analógico, nos canais, através das opções GLOBAL OPTIONS e HA REMOTE.

O que é estrutura de ganhos, que falou?

Todo sinal, que entra no console, pode vir com pouca ou muita intensidade. Às vezes, já vem no nível certo.

Quando estes sinais não vem no nível certo, é preciso excitar ou atenuar esta intensidade para um nível que seja funcional.

Este ponto, normalmente, é quando está suficiente para mixagem e com o mínimo de ruído eletrônico presente.

Medidores na x32

E este nivelamento deve ser feito no console que recebe o sinal as conexões físicas com o instrumento.

E se trocar a fonte sonora?

O phantom sempre vai acompanhar o pre-amplificador, pois ele alimentar os equipamentos que necessitam de energia (como microfones e direct box).

Se ocorrer de um direct box dar problema e este ser trocado, quando o cara que controla o ganho analógico ligar o phantom, automaticamente, o equipamento recebe energia.

Sendo assim, todas as outras mesas já recebem a mesma coisa que a mesa master.

E quanto ao ganho, quando o cara do ganho analógico recalibrar o nível para ter a estrutura de ganho correta, todos os outros recebem o mesmo nível.

Se lá no console remoto, o operador atenuar, ele vai receber o sinal corrigido no ganho analógico e logo em seguida assume o nível colocado no ganho digital.

Cantor gritando
Ajuste o ganho quando o canal acende o alerta vermelho e distorce.

O mesmo exemplo acima pode ser colocado para outro níveis. Exemplo: um cantor que canta com mais intensidade, o ganho analógico deverá ser diminuído para não distorcer a entrada.

Assim, o que o operador do console mestre fizer, já fica resolvido para todos os outros operadores.

Entendendo o controle da rede

Os consoles precisam ter um sincronismo de Sample Rate. As mesas trabalham em 44.1kHz e 48.0kHz.

Num tô entendendo nada Tiago, o que é isto?

Sample Rate são como fotos do sinal analógico. Este console pode tirar 44100 ou 48000 fotos do sinal a cada segundo. Isto é feito lá na conversão.

Amostras por Segundo
Quanto mais amostras por segundo, mais parecido o áudio digital vai ficar do áudio analógico.

O console principal, da conversão vai mandar nos outros. E você decide quantas fotos ela vai tirar, no tempo de um segundo, pra transformar o audio analógico em dados digitais (audio digital).

Quantas amostras você decidir, será quantas fotos do sinal será tirado. Assim, todos os outros consoles vão ter que trabalhar com este valor.

O console que estiver com velocidade diferente, vai gerar erros ao controlar estes dados.

Isto é fundamental pra quando eles forem converter novamente em audio analógico. Sem informações de como foi convertido, fatalmente as outras mesas trabalhariam de forma errada.

Como não são elas que converteram, sem obedecer uma mesa master, elas ficariam sem referência de quantas fotos foram tiradas.

Definindo quem manda

O console, em que os canais da banda irão entrar fisicamente, deverá ser a base na qual todos os outros deverão seguir o mesmo padrão.

No console local, vá em HOME, depois em CONFIG e diga o Sample Rate que vai usar. Sugiro em 48.0kHz, que tem mais amostras e, por fim, mais qualidade.

Quanto definir, todas as mesas que aceitarem esta como principal, estarão sincronizadas com este CLOCK.

A sincronização, deste console, deverá estar LOCAL, pois ele quem irá gerar o tempo de amostra para todos os outros:

Sampler Rate da x32
Sample Rate: Amostragem do sinal analógico. Maior indica mais amostras e mais qualidade. Syncronization: A mesa que usa LOCAL manda na rede. As outras opções transformam a mesa em escrava, obedecendo pelas portas AES50 ou pelo Card.

Definindo quem obedece:

Perceba, na imagem anterior, que a legenda ao lado do relógio mostra um quadrado verde com um L.

Este quadrado verde mostra que está OnLine, recebendo as amostras de forma Local e em 48.0kHz de Sample Rate. Ou seja, este é o console que manda.

Nas mesas que vão obedecer, elas devem ter o Sample Rate modificado para a porta que está recebendo sinal da mesa que manda. Na mesma velocidade da mesa master.

Se este cabo de rede está chegando com sinal em AES50, na porta A, defina para AES50A e vai mostrar o quadrado verde ao lado.

Neste caso, o verde indica que está sincronizado e obedecendo desta porta:

Imagem do recebimento via porta A
Tela mostrando que o sincronismo está pela PORTA AES50 (A) e está OK.

Configurando o PATCH na mesa LOCAL

Você precisa conferir algumas configurações locais e, talvez, modificar alguns parâmetros para enviar a cópia do sinal de entrar para as x32 sem multicabo.

Configurações das entradas físicas

O áudio dos instrumentos, conectados diretamente no console Master, deve entrar via porta Local.

Vá em ROUTING, depois em HOME e escolha as portas Local. Só é possível fazer configurações de 8 em 8 canais. Sendo assim, Input 1 a 8 ficaria Local de 1 a 8:

Entrada Local
Receba o sinal direto, escolhendo a porta Local. É possível mesclar com porta Local ou Card.

Configurações de saídas físicas

Em ROUTING, na aba OUT 1-16, envie o master, mono, mix, matrix, direct out ou monitor para as saídas físicas:

Configurações para saida local
Master, mono, mix, matrix, direct out ou monitor para as saídas físicas Local

Configurações de saídas pelo Card (exemplo: porta USB para gravação)

Talvez precise gravar um multitrack, do áudio dos instrumentos, conectados diretamente no console, pelo Card XUF, XUSB ou dos vários outros modelos.

Vá em ROUTING, na aba CARD OUT e defina Local para enviar ao Card:

Card Local
ROUTING > CARD OUT > Local (áudio dos instrumentos, conectados diretamente no console)

Configurações de saída AES50 (para mesa Remota)

Para enviar o sinal dos instrumentos conectados, nas entradas físicas do console Local, para o console Remoto, vá em ROUTING e depoisescolha para qual porta AES50? deseja voltar o sinal, sendo que ? seria a porta A ou B escolhida como volta.

Na imagem abaixo, escolhi AES50 A para retornar para o console Local:

Configurações para a saída remota
Áudio dos instrumentos, conectados diretamente no console Local, enviados para o Console Remoto pela porta AES50 A.

Configurando o PATCH na mesa REMOTA (x32 sem Multicabo)

Você precisa modificar algumas configurações para receber a cópia do sinal do áudio dos instrumentos, conectados diretamente no console Local.

Configurações das entradas remotas

No console Local, as entradas vem da porta Local, já no console Remoto, as portas vem pela AES50 escolhida.

Vá em ROUTING, depois em HOME e escolha as portas AES50. Só lembre que a entrada é de 8 em 8, sendo assim, Input 1 a 8 ficaria AES50? de 1 a 8. Sendo que ? seria a porta A ou B escolhida como entrada.

Na imagem abaixo, exemplifiquei com AES50 A:

Entrada Remota
Receba o sinal Remoto, escolhendo a porta AES50. É possível mesclar com porta Local ou Card.

Configurações de saídas pelo Card (exemplo: porta USB para gravação)

Talvez precise gravar um multitrack, do áudio dos instrumentos conectados diretamente no console Local, pelo Card XUF, XUSB ou dos vários outros modelos.

O processo é muito parecido com o que foi explicado para a mesa Local, porém, o sinal vem por outro caminho, pela porta de entrada AES50.

Vá em ROUTING, na aba CARD OUT e defina AES50 (que recebeu do console Local) para enviar ao Card:

Card Remoto
ROUTING > CARD OUT > AES50 (que recebeu do console Local)

Configurações de saída AES50 (de volta para mesa Local)

Talvez você precise enviar algum sinal de saída do console Remoto, x32 sem multicabo, para o console Local.

Por exemplo: Se o processador estiver no palco e na frente esteja somente o console Remota, você não precisa passar cabo físico de sinal, o áudio volta no cabo de rede.

Vá para ROUTING e defina seus Outputs na aba OUT1-16. Depois escolha para qual porta AES50? deseja voltar o sinal, sendo que ? seria a porta A ou B escolhida como volta.

Na imagem abaixo, escolhi AES50 A para retornar para o console Local:

configurações para a volta aes50 local
Defina as saídas em OUT 1-16 e depois encaminhe para o AES50 escolhido para volta.

Recebendo no console Local as saídas do console Remoto

Se definiu a volta para o console Local, vai precisar enviar o AES50 escolhido direto para as portas XLR.

Vá em ROUTING, na aba XLR OUT e substitua as saídas OUT1-16 (saídas do sinal do console Local), para as saídas recebidas pelo AES50 via console Remoto.

Esta configuração é feita em blocos de 4 em 4 canais:

Configurações para o xlr out local
AES50 recebendo som Remoto para sair no XLR Out Local

No exemplo acima, de Configurações de saída AES50 (de volta para mesa Local), enviamos todo Output 1-16 via AES50.

Neste mesmo exemplo, via AES50A, se precisar receber só o envio das duas saídas (15 e 16) para as portas XLR Outputs (15 e 16), vai precisar endereçar AES50A 13 a 16 para XLR Outputs 13-16.

Neste caso, as portas 13 e 14 que não serão usadas como volta da mesa remota e ficará sem acesso pela mesa local, já que AES50 A de 13 a 16 que ocuparam ela:

bloqueio da porta xlr out local
Porta XLR Out Local 13 a 16 recebendo AES50 A 13 a 16.

Se algumas funções não estiverem presentes no console, confira a atualização da sua x32. E se precisar atualizar, acesse como atualizar a x32 com sucesso.

Gostou? Então deixa um comentário, ele é muito importante para que eu possa fazer melhor nos próximos textos. Ahhh!!!! Aproveita e compartilha nos botões das redes sociais no começo desta publicação.

Behringer X32 do Básico ao Avançado

Você quer aprender mais da Behringer X32?

cansado de saber pouco e quer ir do básico ao avançado, mas tá com a grana curta pra ficar gastando com deslocamento ou mensalidade?

Seu tempo tá corrido e tem que ser um aprendizado que caiba no seu melhor momento?

Saiba que eu montei um treinamento da Behringer X32 que tem um método que vai te levar do básico ao avançado, na prática do dia a dia, com uma banda tocando e que se encaixa no seu tempo corrido.

Um treinamento online que você economiza por não precisar se deslocar e só paga uma vez para ter acesso a todas aulas, podendo ver e rever pela internet quando quiser, sem gastar mais nada com isto.

Inclusive, eu te dou uma garantia, se você não gostar no período desta garantia, eu devolvo todo o seu investimento.

Para saber mais, clique aqui: http://online.tiagoborges.net/behringer-x32-treinamento

Comente com sua conta do Facebook:

Comentários: