O que é e como usar o Multiband Compressor

Tempo de leitura: 8 minutos

Nesta publicação explico o que é e como usar o Multiband Compressor, todos seus parâmetros e exemplifico aplicações e usos, pois muitas vezes ignoramos recursos que temos justamente por não termos ideia de como utilizar.

Ou então acabamos vinculando uma ferramenta como aplicação para somente alguns casos, deixando de aproveitar de vários outros modos criativos.

Foi pensando nisto que escrevi primeiro o texto Controles de dinâmica – Deixe as ferramentas trabalharem.

Neste texto, vamos dar uma olhada mais de perto sobre os princípios que regem este processamento de dinâmica.

Agora vou falar mais especificamente da Compression Multiband (Multibanda Compressão) ou Compressor Multibanda.

Onde tudo começou

Lendo vários textos de vários livros, posso dizer que originalmente esta ferramenta foi criada para ajudar a segurar os picos dos sinais nas masterizações em estúdio.

Ele veio para supri a necessidade de corrigir picos em regiões de forma que o restante do sinal não seja afetado.

Um multiband compressor nada mais é que vários compressores trabalhando lado a lado, mas cada um trabalhando em uma faixa de frequências diferentes.

Já falamos no texto sobre Compressor, que esta ferramenta bem ajustada pode trazer inúmeros benefícios, mas a falta de domínio da mesma pode arruinar o trabalho.

Se este processamento de banda simples pode trazer ótimos resultados, uma ferramenta com mais opções de controle, com mais bandas para este controle de dinâmica, pode trazer resultados melhores ainda.

Por outro lado, se já não tinha domínio quando em uma banda, a aplicação deste sem domínio pode gerar um efeito muito pior que o desejado.

Como o Multiband Compressor funciona

O primeiro passo é entendermos que os processadores de dinâmica são baseados em volume.

Ou seja, modificam a amplitude de sinal baseado no nível de volume monitorado.

Também precisamos entender que se a fonte sonora for modificada ou existir alguma modificação no sinal antes da monitoração do processador, o resultado poderá deixar de ser satisfatório.

Muito comum existir esta diferença quando é substituído o cantor, músico, instrumento, captação, ganho, equalizador, outros processamentos e etc.

A ideia de Multiband Compressor é justamente a qual ela se refere, seja reprimir, refrear, achatar e vários outros sinônimos no sentido de reduzir o volume, sendo que em banda de frequência independente.

O conceito essencial deste processo é que um Compressor reduz o volume de um sinal quando este excede o nível determinado, obedecendo a uma taxa de redução e outros parâmetros que podem ser modificados.

Na prática

Em meios práticos, este processador nos ajuda a segurar excessos que ultrapassem um ponto definido.

À primeira vista, olhando para os parâmetros da ferramenta, você pode perceber que a grande maioria divide em quatro seções.

Estas representam diferentes áreas da gama global de frequência. A maioria dos modelos de multiband compressor funciona de 20Hz – 20kHz.

O número de bandas que utilizam variam e, muitas vezes, elas podem ser adicionadas ou excluídas dependendo do produto.

A faixa que cada banda cobre na maioria dos casos também é definida pelo usuário.

Cada uma dessas faixas representa um compressor individual e tem um conjunto completo de controles.

Se você ainda sente dificuldades, no aparelho individual, experimente ler o artigo o que é e como usar o Compressor para iniciantes.

Cada processamento individual, só atuará nas frequências especificadas.

Isto é realmente ideal para o tratamento de um determinado instrumento ou vias, pois resolverá problemas de faixas de frequência de forma isolada.

Exemplos de uso

Sabe aquela voz que causa irritação quando não é tirado certa faixa de frequência?

Uma guitarra, com aquele médio chato, ou qualquer outro instrumento que sempre que ele é tocado, em certa região, soa muito ruim?

Pois bem, normalmente, corrigimos tirando no equalizador, mas isto não resolve de vez o problema, pelo contrário, pode atrapalhar.

Quando a fonte sonora está enviando outra região de frequências em que harmônicos caem justamente naquela que abaixamos, aí precisamos voltar a frequência tirada, e ficamos nesta, tira e põe.

Com o multiband compressor, podemos monitorar somente aquele ponto chato e reduzir sempre que tiver excessos nele.

Assim, conseguimos um belo equilíbrio não só para os canais de entrada, como também para finalização nas saídas.

Ou seja, você pode equilibrar individualmente instrumentos, como também o grupo inteiro (de tambores, cordas, metais, vocais…).

Dependendo do processador, podemos até equalizar removendo ou colocando regiões de frequências usando o ganho de cada banda.

Parâmetros do Multiband Compressor

A grosso modo, um multiband compressor é “algo” que divide o áudio em diversas regiões do espectro e comprime cada uma delas separadamente, para depois juntar tudo.

Por isto, entender cada parâmetro abaixo de forma individual em cada banda ajudará dominar todo o equipamento.

Nem todo processador contem todos os parâmetros abordados aqui, outros podem conter mais opções.

Gráfico demonstrando o processo de Attack para redução do sinal e Release para liberação do sinal.
Gráfico demonstrando o processo de Attack para redução do sinal e Release para liberação do sinal.

Threshold

É neste parâmetro que definimos o ponto de analise do sinal, acima ou abaixo deste que serão executadas as próximas ações do Compressor.

Para aplicar é simples, você verifica o nível de sinal que esta entrando na ferramenta e define o valor para qual deseja que seja executado o Attack na proporção de Ratio.

Peak/RMS

É neste parâmetro que definimos se o Compressor efetuará seu processo baseado na analise do sinal em método Pico ou RMS.

Compressão baseada em Pico faz a medição dos valores imediatos, já baseado em RMS geram a média de sinais antes do comparativo com a definição para o Threshold.

Ratio

É neste parâmetro que definimos o quanto desejamos que o Compressor reduza o sinal de forma que a razão seja baseada em proporção.

Uma relação 1:1 indica que uma porção do sinal que entra, sairá uma porção, ou seja, como se a redução do sinal não exista.

Já na relação 2:1 indica que duas porções de sinal que entrar, sairá uma porção, ou seja, a metade do sinal que superar o ponto do Threshold poderá passar.

Gráfico demonstrando a Razão de Proporção do sinal durante a redução do sinal.
Gráfico demonstrando a Razão de Proporção do sinal durante a redução do sinal.

O mesmo para 4:1, onde quatro porções do sinal que entrar, irá sair uma porção, ou seja, um quarto do sinal que ultrapassar a definição poderá passar.

Em proporções maiores, exemplo acima de 10:1, já pode considerar o Compressor estar trabalhando como um Limiter.

Knee

É neste parâmetro que definimos a velocidade da taxa de compressão do sinal à medida que este chega próximo ao ponto do Threshold.

Quanto mais distante de zero (Soft), mais suave será a transição, pois a compressão será iniciada antes de superar o ponto do Threshold.

Quanto mais próximo de zero (Hard), mais brusca poderá ser a transição.

Brusco (hard) é proximo de zero e suave (soft) é distante de zero.
Brusco (hard) é proximo de zero e suave (soft) é distante de zero.

Attack

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Compressor irá demorar em reduzir o sinal após ultrapassar o valor definido no Threshold.

Uma definição rápida, ou menor valor, faz com que o sinal seja reduzido imediatamente, este resultado pode ser desconfortável dependendo da aplicação.

Hold

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Compressor permanecerá aberto quando o sinal ficar reduzido abaixo do valor definido no Threshold.

Em muitos Compressores não é possível a edição deste parâmetro vindo com um valor fixo de fábrica, neste caso, é preciso verificar nas especificações do produto qual o valor predefinido.

Release/Decay

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Compressor vai demorar (após a conclusão do tempo do Hold) fechando completamente o sinal baseado no tamanho do Range.

Assim como Hold, um tempo muito curto pode estragar a sonoridade do sinal, um tempo muito longo pode deixar passar algum som indesejado (um sinal menor ser comprimido quando o processo de Hold ou Release ainda não tenha sido finalizado).

Gain (MakeUp/Compensation)

É neste parâmetro que definimos o quanto de ganho queremos compensar no sinal devido à redução aplicada pelo Compressor, corrigindo a diferença entre o volume do sinal de entrada e saída do processador.

Diminuindo ou excitando este parâmetro, também é possível equalizar o sinal.

Cue/Monitor

É habilitando este parâmetro que podemos ouvir somente a faixa de filtro aplicada para uma aplicação mais detalhada ao regular o filtro de frequências.

Atenção: Na maioria dos equipamentos, esta monitoração é feita pelos fones, ou saídas de monitor, porém, em alguns, o som principal pode ser desabilitado, saindo somente o som filtrado.

Gostou? Então deixa um comentário, ele é muito importante para que eu possa fazer melhor nos próximos textos. Ahhh!!!! Aproveita e compartilha nos botões das redes sociais no começo desta publicação.

Comente com sua conta do Facebook:

Comentários: