LR + Mono e LCR, você sabe qual a diferença?

Tempo de leitura: 12 minutos

Eu sempre me perguntei qual a diferença entre a mixagem LR + Mono e LCR? E quando fui atrás, aprendi que existem diversas possibilidade dentro de LR + Mono e LCR.

Porém, todas estas possibilidades dependem de uma preocupação enorme com o público, por conta do panorama.

Para onde vamos colocar a imagem sonora do som de um instrumento? Esté sempre deverá ser o primeiro questionamento.

Panoramas das Mixagens

Panoramas

Quando mixamos em estúdio, ou até mesmo no ao vivo, muitas vezes esquecemos de nos colocar na posição do ouvinte.

Acaba que erramos, fazemos aquela mixagem incrível, mas só para quem está no meio das duas fontes sonoras.

Esquecemos que o público pode estar ouvindo somente um dos lados da mixagem.

Seja por uma ligação errada, por uma distribuição mal planejada ou pelo posicionamento na platéia.

O que quero dizer é que, às vezes, alguém pode ouvir um só lado do fone. Muito comum numa academia, numa corrida, dividindo com alguém ou tantos outros motivos pra ouvir assim.

Já da distribuição, já viu como é o som ambiente em bares, clubes, salões…? Pegam uma saída e sonorizam só um espaço e outra saída sonorizam outro espaço. Na maioria das vezes, por economia de material ou facilidade de controle.

E o posicionamento do público em shows ao vivo? Quem senta na lateral do espaço sonorizado, ouve somente uma coluna do PA, deixando de ter a referência do outro lado.

São tantos exemplos que eu poderia colocar, sobre ouvir só um dos lados da fonte sonora, que ficaria enorme este texto… Mas o que quero dizer, é para ter cuidados com panorama.

Pegar um tom de bateria, uma conga, uma guitarra, uma voz… ou tantos canais, virando ele só para um lado, com pan completo, é muito ruim pra quem ouve só uma das vias.

Como corrigir este problema?

Congas
Em uma mixagem, com pan 100% nas congas, ninguém suporta ouvir tum tum da conga grave.

Nunca vire o balanço dos canais completamente para um lado.

Faça uma proporção de diferença um pouco menor. De forma que ainda consiga ouvir, em um só dos lados, uma referência de todos instrumentos.

Seria como ter a conga grave alto, mas também um cheirinho da conga aguda, pra fazer sentido.

Mixagem em LR

Mixagem LR
Você acha, que a pessoa que está sentada de um lado do palco, vai ouvir o PA do outro lado?

O conceito de uma mixagem em duas fontes sonoras, é ter um instrumento aparecendo nos dois lados. Mesmo que fique mais presente em um lado só.

Mais presente não quer dizer que se lasque o publico do outro lado. Pelo contrário, se são duas fontes sonoras, é preciso ter o canal presente dos dois lados.

Ninguém sabe onde vai ser usado esta mixagem. E por isto, é preciso pensar que nem sempre o ouvinte vai estar no meio das duas fontes sonoras.

Entendo que tem gente que acha lindo uma panorama completo. Afinal, no meio das duas fontes sonora, realmente fica perfeito. Mas e o público? 😱

Tome cuidado com mixagem de estúdio, ou eventos ao vivo, com panoramas completos, já que nem sempre o ouvinte vai estar em locais com duas fontes sonoras.

Realmente, ouvir com os dois lados do fone, no carro com falantes LR, na televisão com falantes LR… Mas e quando não tem a referência dos dois lados?

Já pensou ficar ouvindo só o tum tum da conga grave? É horrível estar de um lado só do PA e não ter ideia da conga aguda, pois ela está lá do outro lado do palco.

Os panoramas completos, na mixagem LR, só fazem sentido ao estar dentro da cobertura das duas fontes.

Ficando no lugar do público

Trocando com público
Experimente ouvir só um dos lados do PA.

Quando estiver mixando, experimente ouvir seus panoramas 100% em um só dos lados e decida se realmente é aquilo que quer que o público ouça.

Experimente sair da house mix e andar pelo ambiente.

Vai ter vez que será forçado ouvir em um só lado. Infelizmente, muitas produções decidem que o local da mesa de som será na lateral.

É engraçado como alguns operadores ao ter a console colocada de lado mudam seu modo de mixar.

Deixam de fazer mixagens com panoramas completos, pra poderem ouvir a referencia de todos instrumentos. Já quando estão no centro, parecem cagar pro público da lateral.

Desabafo

É absurdamente sem noção, ver direção de evento, pastores, padres e lideres definirem a mesa de som numa posição que não consiga perceber o som como a maioria.

Uma decisão muito imbecil, de cenografia, pra priorizar o que é visto e não o que é ouvindo.

Realmente, as imagens despertam vários sentimentos. Mas experimente assistir algo com som ruim ou que nada tem a ver com a imagem. Na mesma hora a imagem deixa de ser bonita e vira estranha.

O operador tem que estar no centro de onde a maioria do publico vai estar, não por ter que ouvir as duas fontes sonoras. Estar no meio do publico, é ter a liberdade para conseguir o melhor resultado. Já que ele está ouvindo o que o publico ouve.

Cabine de Som para Tradução Simultânea
Isto não é uma cabine para operar som, é para isolamento e uso em tradução simultânea.

E piora mais ainda, quando o operador fica preso dentro de uma cabine. Ele deveria ouvir o som do ambiente, mas as paredes e vidros, da tal cabine de som, deixam ele isolado.

Tem vezes que tem que adivinhar o que está acontecendo com som. A posição que fica é embaixo de escadas, atrás de painéis, por trás de pilastras, embaixo do palco, por cima do estúdio, em outro cômodo…, que precisa deixar de ser operador e virar mágico.

Mixagem em LR + Mono

Montagem com dois palcos
Montagem do sistema da Helisom pra dois palcos e três fontes sonoras de PA.

Se na mixagem em LR temos duas fontes sonoras, ao adicionar a saída mono, é mais uma fonte sonora que tem que ser pensada para mixagem.

Existem várias formas de mixar com a via mono. Pode ser reforço pra vozes, envio só de instrumentos graves, como um sistema auxiliar…

Como reforço para vozes, ou somente para instrumentos que deve ter destaque, muitas vezes o Mono é usado como Center ou Front (principalmente em eventos de palestra).

Usando o Mono para saída de subgrave, dá a liberdade ao operador para enviar ao sub somente os canais que realmente tem aquela região como característica de sua sonoridade.

Já como sistema auxiliar, enviando pelo Mono um sinal para cobrir camarote, lateral de palco, avanços, mezanino…

Inclusive, quando temos dois palcos, lado a lado e com 3 colunas de PA, já usei o Mono na coluna do meio (entre os dois palcos). Neste caso, a mixagem indo com tudo e não só com vozes / instrumentos destaques.

Até retornos da linha de frente, de passarela ou sub de bateria, já usei no Mono, onde meu LR estava nos dois lados dos Sides.

Fora do conceito de Mixagem junto ao LR, já usei ele como uma saída para Efeitos, já que me faltava auxiliares.

E já usei processador externo de efeitos, para conectar com mesa digital, através saída mono.

Mixagem LCR

Três vias
Sistema com 3 vias de fonte sonora de PA. Uma mixagem em LCR entraria perfeita.

O LR + Mono e LCR muitas vezes se confundem, principalmente, quando usamos uma coluna central.

Como falei acima, às vezes usamos o Mono como complemento do sistema. Mas o LCR seria muito melhor pra coluna do Centro.

Ou seja, uma mixagem com lado esquerdo (L), meio (C) e lado direito (R) de PA, entre LR + Mono e LCR, usar o LCR seria mais proveitoso.

No conceito LCR, o Center pode ser uma única fonte sonora ou pode compartilhar com as outras saídas, quando usar o panorama no meio.

Pra ser mais claro, o que mais diferencia entre o LR + Mono e LCR é que no LCR, ao colocar o panorama só de um lado, automaticamente a via central deixa de receber som.

Com Mono, teria que desligar o sinal pra esta via, pra ter som só dos lados. Já para ter som só no meio, teria que desligar o LR, deixando só no Mono.

Com LCR, o som só fica no centro ao deixar o panorama no meio e indicar que a diferença entre as laterais será 100%. Não precisa desligar o LR, assim, ao mover o panorama entre os lados, um decaimento do centro acaba existindo.

Também pode indicar que a diferença será menor, ao ponto de que colocar o panorama no meio e sair nas 3 colunas.

Ao mover pra lateral, só vai som pra coluna lateral, deixando de sair no meio.

LR + Mono e LCR nos equipamentos

Panorama e Imagem Stereo Mono e LCR
Midas Heritage com Mono Fixo e LCR Variável

Antes de escrever esta publicação, resolvi consultar diversos especialistas de várias marcas. Não queria fazer baseando só na minha experiência que tive com consoles analógicas e digitais.

Acabou que achei várias variações do controle destas configurações de LR + Mono e LCR. Não vou falar por equipamentos, pois em uma só marca, achei vários modelos diferentes. Também teve marca que todos equipamentos seguem o mesmo modelo.

Mono e LCR – Fixo

Achei equipamentos que tem o Mono e LCR fixos. O que quer dizer que não posso controlar o quanto de sinal quero enviar para esta via. Como em um subgrupo, o sinal é post fader em 0dB.

No caso, eu só tenho o botão de ligar o Mono e o que vai pra ele é proporcional ao que eu aumento no fader do canal.

Já no LCR, ele pode ser fixo no meio, fazendo com que existam 3 vias independentes.

Quando o balanço do canal está no lado esquerdo, só vai sair som pela saída L. O mesmo para o lado direito, só saindo som no lado R. Já estando com balanço no meio, só vai sair na saída C.

Em outros equipamentos, com LCR fixo, quando o panorama está no meio, o som acaba saindo em todas as saídas. Se estiver virado para as laterais, o som só é enviado para esta lateral.

Mono e LCR – Variável

Também achei equipamentos com configurações do Mono e LCR variável. Onde no canal poderia ser aumentado ou reduzido em relação ao 0dB, como em um auxiliar post fader.

Isto quer dizer que eu posso controlar o quanto de volume, por canal, eu quero enviar para saída Mono. Assim, eu posso fazer uma outra mixagem para esta saída.

Lembrando que ao virar o panorama para os lados, o Mono ainda continuar recebendo o nível enviado para ele.

E o LCR variável, por canal, me permite indicar como quero o comportamento e a intensidade do sinal no centro.

Eu posso indicar o comportamento por canal. Se quero, ao colocar o balanço no centro, que fique saindo somente pelo C ou se quero que também saia no LR.

Quanto a intensidade, achei consoles que é possível reduzir o centro ao ponto de ficar desligado, por canal. Deixar num ponto onde fica equilibrado entre LCR ou aumentar para que fique só no centro.

Lembrando que ao virar o panorama para as laterais, o LCR vai tirar o som do centro.

LCR Global

Também vi que tem consoles que tem LCR variável, mas o controle é global. Isto quer dizer que a diferença, no meio, poderá ser controlada por um controle geral.

Sendo assim, o controle é variável, mas não fica em cada canal, é um controle geral que indica esta diferença entre as 3 vias.

Ou seja, se deixar o controle global no máximo, todos os canais, que estiverem com panorama no meio, só vão ter sinal saindo pelo meio.

Se tiver no mínimo, todos os canais, que estiverem com panorama no meio, vão ter o som saindo nas 3 vias.

Nota

O Kadu Melo, com a mesa SSL Live, quebrou minhas pernas. Estava finalizando de escrever esta publicação quando ele começou me mostrar uma parte dos recursos dela.

Tem tanta coisa, que acaba que se eu colocasse o poder dela aqui, teria que mudar toda publicação.

Pra ter ideia, nela é possível ter vários masters de configurações diferentes em uma mesma cena. Inclusive, o Mono dela tem largura em relação ao LR.

Confesso que não consegui absorver o tanto de recursos dela. Tem muita coisa e preciso de um tempinho pra aprender melhor.

Tela do Folddown

Pra ter ideia, é a primeira console que conheço e que permite editar a lei do pan.

E não acaba nisto, eles ainda deixam você personalizar de forma variável para Center/Stereo e Surround/Front. Também tem controles fixos em 0dB, -3dB ou, incríveis, -6dB para Mono/Stereo.

Em dois níveis global, o padrão multicanal e o alternativo multicanal.

Por enquanto, ou fica pra uma outra publicação avançada, ou quando eu conseguir dominar de uma forma simples, volto aqui e adiciono mais conteúdo.

Gostou? Então deixa um comentário, ele é muito importante para que eu possa fazer melhor nos próximos textos. Ahhh!!!! Aproveita e compartilha nos botões das redes sociais no começo desta publicação.

Comente com sua conta do Facebook:

Comentários: