O que é e como usar o (Noise) Gate

Tempo de leitura: 7 minutos

Nesta publicação explico o que é e como usar o (Noise) Gate, todos seus parâmetros e exemplifico aplicações e usos, pois muitas vezes ignoramos recursos que temos justamente por não termos ideia de como utilizar

Ou então acabamos vinculando uma ferramenta como aplicação para somente alguns casos, deixando de aproveitar de vários outros modos criativos.

Foi pensando nisto que escrevi primeiro o texto Controles de dinâmica – Deixe as ferramentas trabalharem. Neste texto, vamos dar uma olhada mais de perto sobre os princípios que regem este processamento de dinâmica.

Agora vou falar mais especificamente do Noise Gate (tratando aqui unicamente como Gate), que traduzindo grosseiramente podemos entender como Portão de Barulho ou Portão de Ruído.

Lendo vários textos de vários livros, posso dizer que originalmente esta ferramenta foi criada para ajudar a eliminar os chiados, ruídos e outros sinais indesejados nas gravações e somente depois começaram a ser usados no Ao Vivo.

Como o Gate funciona

O primeiro passo é entendermos que os processadores de dinâmica são baseados em volume.

Ou seja, modificam a amplitude de sinal baseado no nível de volume monitorado.

Também precisamos entender que se a fonte sonora for modificada ou existir alguma modificação no sinal antes da monitoração do processador, o resultado poderá deixar de ser satisfatório.

Muito comum existir esta diferença quando é substituído o cantor, músico, instrumento, captação, ganho, equalizador, outros processamentos e etc.

O Gate faz justamente a função na qual a tradução dele se refere, ele é um portão de níveis de sinal, deixando passar o sinal somente quando este ultrapassa um nível definido.

Assim, qualquer sinal abaixo desta definição terá este portão fechado e não poderá sair.

Assim como nas gravações, no Ao Vivo a ideia é a mesma, definir um ponto no qual ruídos, chiados e outros sinais indesejados ficam trancados, e somente quando o som desejado ultrapassar o ponto sendo superior aos sons problemáticos é que o Gate é aberto.

Onde é mais usado?

Normalmente vemos este processador ser muito usado junto à instrumentos percussivos, que demandam muitos microfones.

Por exemplo, uma bateria em que cada tambor recebe, muitas vezes, um ou mais microfones, acaba que a captação de uma peça também capta o som da outra peça, podendo causar um desconforto em ouvir em processamentos diferentes.

A utilização do Gate, neste caso, pode fazer com que o microfone de cada peça só seja aberto quando a peça microfonada produza som, fazendo com que a mixagem acabe se tornando mais limpa, pois ao tocar em outra peça, esta não produzirá volume acima do nível definido para liberar o som desta captação.

Por isto que muita gente acabou vinculando o uso de Gate somente em instrumentos percussivos, mas podemos usar em várias outras aplicações onde se deseja isolar o sinal quando não existindo a fonte sonora desejada.

Outros exemplos de uso do Gate

O vento, seja de um ventilador ou de um evento aberto, acabamos tendo este sopro aparecendo no canal e incomodando no resultado, quando este canal não está sendo usado, pega bem colocar o um gate ali pra ser fechado automaticamente.

Também usar em um microfone de comunicação, que pode estar enviando o som do ambiente para os fones, poluindo os mesmos quando não está sendo comunicado nada.

Algumas pessoas deixam de usar este recurso justamente para efetuar a soma do sinal captado em outros microfones junto ao microfone principal da peça, mas isto pode também causar problemas.

Quando uma fonte é captada por dois microfones em diferentes posições, haverá diferença de tempo podendo ocorrer diferença de fase em algumas frequências e com isto irá existir o cancelamento.

A aplicação do Gate neste caso poderá ajudar aliviar este problema, deixando o microfone mais distante sem som.

Também existe um outro tipo de dinâmico muito parecido com o Gate, no caso, ele só reduz o som, não cortando completamente como o Gate faz, acesse aqui e conheça mais sobre o Expander.

Parâmetros do Gate

Os parâmetros de um Gate normalmente são mais simples do que de um Compressor, pois na maioria só são encontrados encontrados os parâmetros Threshold, Attack, Hold e Release que podemos ver em melhor contexto na imagem.

Gráfico de etapas do gate
Neste gráfico, você visualiza as etapas do processamento do gate.

Mesmo assim, estarei comentando sobre a maioria dos recursos que também são encontrados.

Threshold

É neste parâmetro que definimos o ponto de monitoração do sinal, acima ou abaixo deste que serão executadas as próximas ações do Gate.

Para aplicar é simples, você verifica o nível de sinal que este canal está entrando e define valor para que abaixo ou acima seja executado o Attack.

Attack

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Gate vai reter o sinal após ultrapassar o valor definido no Threshold.

Uma definição rápida, ou menor valor, faz com que o próximo parâmetro seja executado imediatamente.

Hold

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Gate permanecerá aberto quando o sinal ficar reduzido abaixo do valor definido no Threshold.

Um tempo muito curto pode fazer com que o Gate acabe cortando os harmônicos estragando a sonoridade do sinal, um tempo muito longo pode acabar liberando para que outros sons possam passar por este canal.

Release/Decay

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Gate vai demorar (após a conclusão do tempo do Hold) fechando completamente o sinal baseado no tamanho do Range.

Assim como Hold, um tempo muito curto pode estragar a sonoridade do sinal, um tempo muito longo pode deixar passar algum som indesejado .

Range/Depth

É neste parâmetro que definimos o quanto desejamos que o sinal seja reduzido quando a porta é fechada.

Quantidades extremas corta o sinal por completo.

Filter

É neste parâmetro que definimos em qual faixa de frequência do sinal o Gate estará monitorando.

Ainda que seja uma faixa de frequência reduzida de monitoração, o processamento do dinâmico é efetuado em toda faixa de frequência do sinal.

Caso queira entender mais, veja Filtros dos Dinâmicos.

Cue/Monitor

É habilitando este parâmetro que podemos ouvir somente a faixa de filtro aplicada para uma aplicação mais detalhada ao regular o filtro de frequências.

Atenção: Na maioria dos equipamentos, esta monitoração é feita pelos fones, ou saídas de monitor, porém, em alguns, o som principal pode ser desabilitado, saindo somente o som filtrado.

SideChain/Source

É neste parâmetro que definimos de onde partirá o recurso do sinal que será monitorado, podendo receber o sinal antes ou depois do equalizador paramétrico ou então receber o sinal de outros canais.

Hysteresis

Num Gate normal, quando o sinal fica abaixo do limiar (threshold), o sinal é cortado. Na imagem abaixo, o gráfico de acima exemplifica isto.

Muitos harmônicos são imediatamente cortados, porém, em alguns gates, é possível ter uma abertura temporária, que mantém estes harmônicos abertos e só depois fecha.

E ainda, na imagem abaixo, o gráfico de baixo exemplifica o funcionamento do Hysteresis, onde é possível indicar uma largura onde a porta vai ficar aberta, mesmo com sinal estando abaixo do limiar.

Diferença do Gate com e sem Hysteresis
Neste gráfico, mostro a diferença do Gate com e sem Hysteresis.

Gostou? Então deixa um comentário, ele é muito importante para que eu possa fazer melhor nos próximos textos. Ahhh!!!! Aproveita e compartilha nos botões das redes sociais no começo desta publicação.

Comente com sua conta do Facebook:

Comentários: