O que é e como usar o DeEsser

Tempo de leitura: 5 minutos

Nesta publicação explico o que é e como usar o DeEsser, todos seus parâmetros e exemplifico aplicações e usos, pois muitas vezes ignoramos recursos que temos justamente por não termos ideia de como utilizar.

Ou então acabamos vinculando uma ferramenta como aplicação para somente alguns casos, deixando de aproveitar de vários outros modos criativos.

Foi pensando nisto que escrevi primeiro o texto Controles de dinâmica – Deixe as ferramentas trabalharem.

Neste texto, vamos dar uma olhada mais de perto sobre os princípios que regem este processamento de dinâmica.

O que você entende como Sibilância?

Se corrermos para o dicionário, podemos encontrar interpretações indicando que sibilância deriva do verbo sibilar, sendo ato ou efeito de assobiar, fazer ruído ou chiado semelhante a um silvio produzido nos órgãos respiratórios.

Também podemos encontrar indicações mais técnicas como modo de articulação de consoantes fricativas e africadas, produzida ao projetar um jato de ar com a língua em direção a um canal estreito entre os dentes, que ficam semiabertos.

Um exemplo prático é quando pedimos silêncio usando Shhhhhh!

Como perceber posso perceber?

Dinâmicas desproporcionais em frequências médias e altas que podem acontecer durante sílabas consoantes como C, CH, F, S, SH, T, X e Z.

Existem discordâncias cientificas sobre quais frequências, por isto vou indicar os valores maiores que encontrei em pesquisas, que seria entre 800Hz à 16000Hz, mas é mais comum encontrar estes problemas acima de 3KHz.

Não use frequências como regra e nem acredite que aplicações que funcionaram em outros momentos irão dar certo agora, pois cada interlocutor tem uma dicção diferente.

Acredite, normalmente, este efeito é notado com maior frequência em volumes mais baixos.

Agora vou falar mais especificamente do De-Esser.

Como o DeEsser funciona

O primeiro passo é entendermos que os processadores de dinâmica são baseados em volume.

Ou seja, modificam a amplitude de sinal baseado no nível de volume monitorado.

Também precisamos entender que se a fonte sonora for modificada ou existir alguma modificação no sinal antes da monitoração do processador, o resultado poderá deixar de ser satisfatório.

Muito comum existir esta diferença quando é substituído o cantor, músico, instrumento, captação, ganho, equalizador, outros processamentos e etc.

Gráfico com funcionamento do DeEsser

O DeEsser não é muito diferente dos outros processadores de dinâmica, ele funciona da mesma forma, o sinal inicialmente é monitorado em cima da faixa de frequência definida e superando o ponto definido, o nível em cima desta faixa de frequência é reduzido.

Em termos práticos, é como se alguém ficasse com a mão no ganho daquela região de frequência, toda vez que percebesse que teria excesso na região ele reduziria o sinal e depois retornaria pro volume anterior quando este excesso não existisse mais.

Assim como todos os outros processadores, o uso deste deve ser aplicado com cuidado, pois ao mesmo tempo que ele reduz este excesso, ele pode enganar e acabar gerando realimentação.

Não cometa meu erro, cuidado!!!

Eu aprendi isto na base do erro, pois uma vez mixando PA, quando eu fui conferir o complemento deste (Front Fill), já tinha aplicado este dinâmico para suavizar os ÉSSES que o artista que estava trabalhando produz.

Durante o show foi decepcionante descobrir o mole que dei e o motivo das microfonias eram aquele processador aplicado antes da conferencia desta via.

DeEsser Analógico

Acontece que quando o publico chegou e ficou de frente ao palco, a tendência é existir uma reflexão de volta do sinal, já que este publico gera um obstáculo (como uma parede) de frente a estas caixas, a tendência é que estas altas frequências retornem e dependendo da posição do microfone, estas podem realimentar.

Foi isto que me aconteceu, pois quando ele estava cantando estava tudo lindo, mas quando ele não entrava na região da frequência, esta voltava a sua gama normal (sem redução), quando ele abaixava o microfone dançando esta gama normal gerava o loop das altas frequências (microfonia).

Por isto, tomem cuidado com qualquer processador modificação feita em qualquer canal antes de conferir as saídas via por via antes.

Mas deixando meus vacilos de lado, vamos voltar ao limitador de frequências altas: DeEsser.

Mas então eu poderia usar um Equalizador para resolver o problema da sibilância?

Infelizmente não resolveria tão bem, pois o equalizador irá estragar a sonoridade do canal, pois reduzirá a frequência independente do nível que esta esteja, já o DeEsser só reduzirá quando este sinal exceder o ponto limite definido (Threshold).

Parâmetros do DeEsser

Plugin Waves De-Esser

Filter

É neste parâmetro que definimos em qual faixa de frequência do sinal o DeEsser estará monitorando.

Alguns processadores iniciam em 800Hz, mas a maioria trabalha acima dos 3KHz.

Range

É quanto, no máximo, será reduzido da frequência selecionada ao superar o limiar.

Threshold

É neste parâmetro, de limiar, que definimos o nível de monitoração e redução do sinal. Aplicação extrema pode gerar resultado indesejado.

SideChain/Source

É neste parâmetro que definimos de onde partirá o recurso do sinal que será monitorado, podendo receber o sinal antes ou depois do equalizador paramétrico ou então receber o sinal de outros canais ou fontes.

Cue/Monitor

É habilitando este parâmetro que podemos ouvir somente a faixa de filtro aplicada para uma aplicação mais detalhada ao regular o filtro de frequências.

Atenção: Na maioria dos equipamentos, esta monitoração é feita pelos fones, ou saídas de monitor, porém, em alguns, o som principal pode ser desabilitado, saindo somente o som filtrado.

Gostou? Então deixa um comentário, ele é muito importante para que eu possa fazer melhor nos próximos textos. Ahhh!!!! Aproveita e compartilha nos botões das redes sociais no começo desta publicação.

Comente com sua conta do Facebook:

Comentários: