O que é e como usar o Equalizador Dinâmico

Tempo de leitura: 5 minutos

Nesta publicação explico o que é e como usar o Equalizador Dinâmico, todos seus parâmetros e exemplifico aplicações e usos, pois muitas vezes ignoramos recursos disponíveis, justamente, por não termos ideia de como utilizar.

Ou então acabamos vinculando uma ferramenta como aplicação para somente alguns casos, deixando de aproveitar de vários outros modos criativos.

Foi pensando nisto que escrevi primeiro o texto Controles de dinâmica – Deixe as ferramentas trabalharem.

Neste texto, vamos dar uma olhada mais de perto sobre os princípios que regem este processamento de dinâmica.

Agora vou falar mais especificamente da DYN EQ – Dynamic Equalizer (tratando aqui, unicamente, como Equalizador Dinâmico).

Como o Equalizador Dinâmico funciona

O primeiro passo é entendermos que os processadores de dinâmica são baseados em volume. Ou seja, modificam a amplitude de sinal baseado no nível de volume monitorado.

Também precisamos entender que se a fonte sonora for modificada ou existir alguma modificação no sinal antes da monitoração do processador, o resultado poderá deixar de ser satisfatório.

Equalizador Dinâmico - Yamaha CL

Muito comum existir esta diferença quando é substituído o cantor, músico, instrumento, captação, ganho, equalizador, outros processamentos e etc.

O conceito essencial deste processo é que um Equalizador Dinâmico equaliza o sinal quando este fica acima ou abaixo do nível em determinada região, obedecendo a uma taxa de redução/expansão e outros parâmetros que podem ser modificados.

É diferente de um compressor multibandas, já que o multiband compressor faz segurar as frequências na região determinada, enquanto o Equalizador Dinâmico faz disparar a equalização que deve ser aplicada.

Exemplos de uso do Equalizador Dinâmico

Em meios práticos, este processador nos ajuda a equalizar automaticamente, baseado nível de entrada de sinal, atuando quando ultrapassa ou fica abaixo de um ponto definido.

Imagina um cantor problemático, que em algumas regiões tem excessos ou vales em sua voz. Que em determinadas músicas alcança tons mais altos, ou mais baixos, produzindo eles de forma excessivas, ou ao contrário, alcançando demasiadamente ou faltando frequências.

Com um equalizador dinâmico, ao aplicar nesta voz, você iria corrigir os defeitos nos dois sentidos, tanto no excesso, como na falta, de forma automátizada.

Casos de sucesso

A primeira vez que eu vi um equalizador dinâmico em funcionamento com foi com Renato Carneiro (no Bruno e Marrone).

Ele aplicava no bumbo, para que em músicas onde o baterista batia com pouca força, o equalizador aumentava mais o agudo, dando mais destaque no kick.

Já nas músicas que ele batia com mais forças, o equalizador reduzia o agudo pra não ficar um kick excessivo.

E também aplicava no grave do bumbo, fazendo a equalização pra que automaticamente, quando o sinal ficasse abaixo do limiar, o grave fosse reduzido e quando o músico não tocava, ficava dispensado o gate.

Com as vozes, ele colocava pra atuar equalizando pra baixo as regiões em excesso e colocando pra cima as regiões em falta.

Assim, quando o Bruno cantava forte, havia destaque demais no médio e automaticamente o equalizador reduzia pra voz ficar mais agradável.

Quando o Bruno cantava em outra região, este médio não era retirado e a voz aparecia mais natural.

Sabe aquele Puff quando o preletor fica falando palavras com P ou B?

Este equalizador atuaria de forma sensacional, segurando o grave do Puff quando ele falasse com P ou B, mas quando ele falava outras palavras, o grave ficaria de volta.

Assim, não é preciso atuar agressivamente com filtro passa alta (HPF/LCUT) para resolver isto.

Tem vários outros modos de utilizar e se beneficiar com o Equalizador Dinâmico, vai depender muito da sua familiarização com a ferramenta.

Parâmetros do Equalizador Dinâmico

Em resumo, o equalizador dinâmico trabalha com as funcionalidades do Equalizador Paramétrico, para tirar ou colocar as frequências, com base no Ganho e Q nele definido.

Assim, a atuação do equalizador é executada quando fica acima do limiar (bem parecido com o Compressor) ou fica abaixo do limiar (bem parecido com o Expander).

Equalizador Dinâmico - Digico - SD8

Ele ajuda muito, mas dependem também de estar bem regulado. Caso contrário, vai arruinar o resultado desejado, por isto, vou explicar como funciona os três parâmetros mais importantes desta ferramenta:

Threshold

É neste parâmetro que definimos o ponto de analise do sinal, acima ou abaixo deste que serão executadas as próximas ações do Equalizador Dinâmico.

No modo OVER (ABOVE), o equalizador vai atuar quando o sinal superar o limiar (como compressor), já no modo UNDER (BELOW), o equalizador vai atual quando o sinal ficar abaixo do limiar (como Expander).

Para aplicar é simples, você verifica o nível de sinal que esta entrando na ferramenta e define o valor para qual deseja que seja executado o Attack na proporção de Ratio.

Attack

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Equalizador irá demorar para atual no sinal após ultrapassar o valor definido no Threshold.

Uma definição rápida, ou menor valor, faz com seja atuado imediatamente, este resultado pode ser desconfortável dependendo da aplicação.

Release

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Equalizador vai demorar.

Assim quando o sinal voltar para situação anterior ao definido no limiar (threshold), o Equalizador vai voltar para posição sem atuação conforme o tempo definido no Release.

Você já usou um Equalizador Dinâmico? Então, deixa seu comentário aqui embaixo.

E se gostou desta publicação, comenta também, pois seu comentário é muito importante para que eu possa fazer muito melhor nos próximos textos.

Ahhh!!!! Aproveita e compartilha nos botões das redes sociais no começo desta publicação. Se mais pessoas comentarem o que acharam, mais conteúdos como este eu vou poder fazer.

Comente com sua conta do Facebook:

Comentários: