Passando raiva com cabos que o sinal não chega?

Tempo de leitura: 5 minutos

Já foi perturbado pelo técnico da banda por causa de algum canal que estava sem som na passagem?

Quando comecei, na minha primeira locadora, lembro que o Ildo Chaves e o Zé Luiz priorizavam mais as manutenções que o evento.

Era muito comum ter toda equipe, dos dois sistemas, nas manutenções, das segundas a quarta-feira, que a mesma quantidade de pessoas nos eventos.

Eles sempre falavam que o equipamento tinha que sair do depósito checado e eu não dava muito valor nisto.

Cabos que o sinal não chega

Só quando fui pra estrada, rodar com bandas nacionais, que aprendi a dar razão naquela manutenção que eles nos demandavam.

Multicabos conectados sem marcação

Eles estavam certos, quando técnico da banda chegava no evento, tudo tinha que estar pronto e não se podia perder tempo trocando o que deveria estar funcionando.

Por muitas vezes eu falei deixa que eu faço, ajuda o outro técnico da banda, só me dá aqui os cabos que eu confiro. Um baita tempo perdido da passagem de som que a cada dia fica menor.

Lembro que eles (Ildo e Zé Luiz), insistiam em conferir o rider com os técnicos das bandas, ligando para os escritórios (não havia celular de forma tão popular nesta época), pra quando a banda chegar no local, já estar tudo conectado e esperando.

Inclusive, nesta época, as bandas andavam só com os instrumentos. E quando o músico tocava, não tinha esta de cabos que o sinal não chega, tinha que ser valendo pra acabar logo a passagem.

O evento começa antes do equipamento sair do depósito

No ensinamento deles, tudo deveria estar testado na loja, retestado na montagem e em pleno funcionamento pra passagem de som.

Quando eu recebia o rider, no depósito, já separava o material, planejando o que fazer no dia, quantos cabos usar, quais cabos usar, onde ia sair, onde ia conectar… tudo baseado no rider que previamente já tinha visto.

Tudo tem que ser pensado previamente, inclusive, o plano B, pois se ocorresse surpresas, o próximo passo já tinha que estar pensado.

Marcação nos cabos

Eu sempre gostei de fazer patch, marcando as duas pontas dos cabos passados, pra que se acaso algo ocorresse, eu não tinha que ficar puxando cabo pra saber quem está onde.

O Ildo era muito chato com isto, para ter a excelência que ele queria, até os microfones eram marcados quando atendíamos mais de uma banda. É complicado passar som com um microfone e na hora ter algo muito diferente.

E hoje, em tempos de equipamentos digitais, que se tem mais tempo, por que será que temos mais problemas com cabos que o sinal não chega?

Em tempos de tecnologia, mais problemas com patch

Nós estamos vivendo tempos de tecnologia, onde gratuitamente (via whatsapp), até conseguimos fazer comunicação internacional.

Mas, ainda sim, se chega em palcos onde nada está ligado e muitas desculpas de que não montamos porque não sabíamos se era o rider certo.

Palco Limpo

A montagem que é feita em cima da hora piora tudo, já que quase sempre é sem planejamento e sem testes. Se chegar na mesa, chegou, se não chegar, bagunça todos os cabos puxando até descobrir por onde ele está passando.

Quando troca o suporte também bagunça tudo. A pessoa que fez o patch não é a mesa que atende a banda, ninguém sabe onde o que tá chegando e puxa a macarronada até achar a ponta.

Preguiça de aprender um método pra facilitar

O cara ainda acha que é normal, que está tudo certo. 💩

Percebo que alguns técnicos de locadora preferem passar vários e vários cabos à aprender utilizar um patch digital.

Patch PM1D

Inclusive, no próprio patch analógico, muitos ainda estão perdidos.

Não entendem a lógica de dois endereços: o som vai sair daqui e tem que chegar aqui.

E se perdem mais ainda, quando se coloca mais de um cabo, adicionando mais de uma rota: se o cabo está entrando nesta multivia com canal 03, do outro lado ela vai sar no canal 03 deste multivia.

Esta mesma lógica, para os cabos analógicos, deve ser usada no patch digital, porém, o que se vê é um sistema com cabos que o sinal não chega.

O mundo do patch não é complicado, é só questão de lógica, mas com certeza, se fizer sem planejamento, terá uma bomba pra explodir a qualquer momento.

E quem não quer o cara da banda enchendo o saco, é melhor deixar tudo pronto e testado com antecedência.

Quando é festival, compare os riders, já analise o que vai fazer antes mesmo de ligar qualquer cabo, pois é importante evitar trabalhar duas vezes, ainda mais por usar cabo com defeito.

Se você é o técnico da banda, pegue o contado da produção, confira suas necessidade e ganhe tempo ao encontrar tudo ligado.

Lista VIP

Logo abaixo tem um formulário para que entre em minha Lista VIP.

Cadastre-se para entrar agora mesmo e receber o meu melhor conteúdo, em seu e-mail, toda semana e gratuitamente. São conteúdos extras e exclusivos.

Ou se quiser, use a página entre agora para minha Lista VIP.

E se gostou desta publicação, já deixa um comentário. Ele é muito importante para que eu possa fazer melhor nos próximos textos.

Ahhh!!!! Aproveita e compartilha nos botões das redes sociais no começo desta publicação.

Comente com sua conta do Facebook:

Comentários: